quinta-feira, 7 de outubro de 2010

EXPLICAÇÕES SOBRE A ATRIBUIÇÃO DE AULAS 2011

Primeiro, a atribuição será, toda ela, em 2011. Tem muito boato na rede falando que haverá atribuição em 2010, não é verdade, a resolução é clara.
Segundo, haverá provas obrigatórias para atribuição de aulas, o boato de que as provas acabaram, é somente um boato; o que houve este ano – professores terem aulas atribuídas sem terem feito as provas ou terem sido aprovados nelas - está previsto para o próximo apenas como excepcionalidade – qualquer professor que não for titular de cargo efetivo terá que ser aprovado nas provas para ter aulas atribuídas.
É importante todos atentarem para o calendário de inscrições; de 04 a 20 de outubro. Na escola se inscreverão os efetivos e “estáveis” (categorias N, P e F); os candidatos a contratação – categoria O – deverão se inscrever na DRE de opção, isso inclui os professores que têm aulas atribuídas este ano.
A penúltima coisa que falta lembrar é a “sopa de letrinhas”, as diversas situações funcionais expressas nas categorias; vamos a ela.
- Efetivos: são os professores concursados, titulares de cargo.
- Estáveis categoria N: são os professores celetistas – muito raros na rede.
- Estáveis categoria P: são os professores estabilizados pela constituição de 1988.
- “Estáveis” categoria F: são os antigos ofa’s ou act’s, que estavam vinculados à rede antes da lei 1010/2007 que criou a SPPREV – que têm a garantia da “jornada” mínima de 12 aulas semanais.
- “Estáveis” categoria L: são os antigos ofa’s ou act’s que foram contratados antes das leis 1093 e 1094/2009 – que deverão ser demitidos no final de 2011, tornando-se categoria O.
- Contratados categoria O: são os professores regidos pelas leis 1093 e 1094/2009; contratados por prazo determinado – no máximo pela duração do ano letivo – sendo dispensados ao final do contrato e podendo retornar à rede somente após “quarentena” de 200 dias – portanto, todos serão demitidos ao final deste ano letivo.
A última coisa que falta é saber quem fará provas.
O importante é lembrar que, segundo a portaria, estão dispensados das provas os professores que obtiveram nota mínima – foram aprovados – nas provas de 2010 e na prova de promoção na carreira/mérito – a aprovação no concurso de 2010 não vale. Estes professores poderão fazer as provas deste ano – opcionalmente – para aumentar suas pontuações – valerá para este feito a maior nota.
- Efetivos: não farão provas, a atribuição será nos moldes costumeiros – escola e depois DRE.
- Categorias F, N e P: se não conseguiram aprovação nas provas deste ano ou na prova de promoção/mérito deverão fazer a prova.
- Categorias L e O: todos deverão fazer a prova, independente de terem sido aprovados nas outras provas deste ano.
Para os professores obrigados a fazer a prova, a inscrição será automática – juntamente com a inscrição para atribuição de aulas/2011 – e para os que não são obrigados a fazê-la, deverão no ato da inscrição optar por fazê-la.
Por último, persiste uma dúvida, que não é esclarecida pela instrução. É o caso dos professores (F, N ou P) que conseguiram ser aprovados na “prova” somando o tempo de serviço. A interpretação do jurídico da APEOESP é que a instrução inclui estes professores na obrigatoriedade de fazer a prova – a prova não seria optativa, que é o que seria mais lógico.
Quando nos perguntam se devem ou não se inscrever para fazer a prova, devemos dizer a verdade, ou seja, que caso alguém que nunca trabalhou no magistério, ou que não tenha passado na prova do ano passado, caso seja aprovado com maior nota, vai escolher aulas e classes primeiro, criando uma situação de incentivo a fazer a prova aos professores que estão aprovados. Isto não significa orientar a fazer, mas esclarecer, para que não tenham ainda um prejuízo maior na atribuição de 2011, afinal como diz o velho ditado “o seguro morreu de velho...”


Fax_7710

Fax_7810

72 comentários:

  1. Gostaria de saber onde posso encontrar qual será o conteúdo para as provas. Por favor, informar em um próximo comentário, através do meu twitter fornecido ou e-mail.

    reboucas_antonio@yahoo.com.br

    Grato

    ResponderExcluir
  2. Por favor minha esposa vai prestar a prova dia 05/12 gostaria de saber como ter acesso ao conteudo da materia da prova.
    Grato
    Marcos Hirata
    eduardof1_99@msn.com

    ResponderExcluir
  3. Marcos,
    Eu não sou da rede e, por isso, estou bastante confusa. Já foi divulgada a data da prova? Não achei nada sobre prova dia 05/12...Por favor, se alguém puder esclarecer eu agradeço!

    ResponderExcluir
  4. O site que foi indicado para acompanhar as orintacoes não funciona!!!

    Alguem sabe o conteudo que vai cair?????

    ResponderExcluir
  5. Anônimo,
    Resolução SE nº 70
    http://diariooficial.imprensaoficial.com.br/nav_v4/index.asp?c=4&e=20101027&p=1

    ResponderExcluir
  6. Por favor me envie a data da prova para atribuicao de aulas, pois estou meio perdida.
    boaa1981@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. ola ,sou categoria f,na prova de 2009 ,tirei 34 pontos,mas somando meu tempo de casa, nao consegui chegar aos 40 pontos.neste ano tive uma nota inferior só 26 pontos ,gostaria de saber qual nota vou ir para a atribuição de 2011.pois se for a nota maior este acho chego aos 40.fico grato se me tirar esta duvida!

    ResponderExcluir
  8. Silvano, segunda a legislação você está aprovado e vai usar a nota da prova passada.(isso não quer dizer que o governo vai respeitar a lei - o ano passado ele passou por cima até de ordem judicial). Teoricamente escolherá aulas antes dos professores(as) categoria "F" que não passaram na prova, dos "L" e "O".

    ResponderExcluir
  9. Claudemir Mazucheli, como não sou da rede, tudo é novo e não sei bem como funciona a atribuição. Passei no concurso, mas não fui chamada ainda e fiz a prova do dia 05/12. Fiz 52 pontos. Pelo que entendi sendo convocada pertenceria à categoria "O", é isso? Gostaria de saber também se já existe uma previsão de data para a atribuição. Obrigada!

    ResponderExcluir
  10. Mara leia as duas postagens do dia 11.12.2010 - e se ainda têm dúvidas me envie um email.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia! Sou professor do Estado e gostaria de saber como será a atribuição 2011? Sou da categoria F e estão dizendo que a atrib será na próprio U.E onde o professor tem sede. Aqui na sede onde trabalho não sobrará aulas de ciências e biologia e ai??? E em outro sede, um outro professor com pontuação inferior a minha passará minha frente??? Estou sem entender??? Abraços

    ResponderExcluir
  12. Oi Claudemir. Eu já tinha lido a resolução que saiu agora...e adorei sua explicação.

    Para o anônimo ai encima:
    Pelo o que está escrito na resolução será isso mesmo. Primeiro na U.E para os "F" e depois na D.E para completar carga.

    Ler artigo 9º
    http://educacadoresemluta.blogspot.com/2010/12/atribuicao-de-aulas-2011-resolucao-se.html

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde, falam que está certo que a atribuição na UE,mas cadê o decreto ou lei para o pessoal ver.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo,
    Resolução SE 77 de 17/12/2010.

    ResponderExcluir
  15. Pessoal!
    Aguarde mais informações sobre a Atribuição.
    Há muitos boatos ainda rolando por ai!
    Por enquanto vale a Resoulão 77. (http://educacadoresemluta.blogspot.com/2010/12/atribuicao-de-aulas-2011-resolucao-se.html)
    Mas, como essa resolução está indignando muuita gente provavelmente poderá sofrer mudanças.
    O que acontecerá com os professores coordenadores que não têm pontuação nas escolas?
    O que ocorrerá com os professores que trocaram de diretorias?
    As escolas terão competência para publicar a classificação de todos os professores com transparência não prejudicando ninguém?

    ResponderExcluir
  16. Fica claro que a postura dos governantes que criaram esta resolução é demagógica e covarde, não respeitam os professores e tentaram justificar a falta de interesse dos estudantes culpando os professores.
    A derrota que o Brasil infringiu a eles nestas eleições presidenciais, evidenciam que suas máscaras caíram.
    Espero que o novo Governador ao assumir acabe com esta prova ridícula e que promova concursos para o magistério anualmente.

    ResponderExcluir
  17. bom dia sou estudante de matemática tirei 45 na prova gostaria de saber se tenho chances na atribuição

    ResponderExcluir
  18. Rogerio, segundo a resolução 77, se você não tiver o DIPLOMA poderá pegar aulas depois:
    - dos PROFESSORES PORTADORES DE DIPLOMA DE LICENCIATURA e depois dos PROFESSORES ESTÁVEIS DAS CATEGORIAS N, P e F.
    - dos PROFESSORES L, EM NÍVEL UNIDADE ESCOLAR, DESDE QUE COMPROVEM TER EXERCIDO ATIVIDADE NA ESCOLA POR PELO MENOS 90 DIAS, COM AULAS ATRIBUÍDAS, NO ANO ANTERIOR.
    - dos PROFESSORES PORTADORES DE DIPLOMA DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA COM HABILITAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL, PARA OS SALDOS DE AULA DO SERVIÇO DE APOIO PEDAGÓGICO ESPECIALIZADO – SAPE.

    Concordo com o companheiro (anônimo) "Fica claro que a postura dos governantes que criaram esta resolução é demagógica e covarde, não respeitam os professores e tentaram justificar a falta de interesse dos estudantes culpando os professores" Esse tipo de atitude do governo é absurda.
    Pois, Aém de estudar por mais de 4 anos somos ridicularizados anualmente através dessas "provinhas". O que é mais absurdo e saber que temos 200.000 professores na rede paulista sendo que cerca de 80.000 são anualmente contratado precáriamente.
    Qual o motivo da perpetuação dessa situação?
    Porque não efetivar todos?

    Não tenho esperança nessa camarilha que está entrando no goveno de São Paulo.
    Vamos ter que aquentar mais do mesmo:
    Veremos cada vez mais o distânciamento entre teoria e prática (a estrutura da escola não permite exercer plenamente as teorias);
    Teremos que trabalhar mais de 12 horas por dia (50% dessas horas não são pagas;
    Teremos que conviver com salas lotadas;
    Teremos que trabalhar doente;
    E ainda aguemtar o chocote dos capitães do mato (supervisores, diretores e coordenadores).

    Isso ocorrerá se não reagirmos!!

    ResponderExcluir
  19. Espero q todos que lutam pelo bem estar do professor fiquem de olho nessa atribuição q acontecerá em 2011, pois há muitos diretores nazistas e q frão de tdo para guardar aulas para os amiguinhos.
    grata

    ResponderExcluir
  20. Me afastei do magistério público por um tempo e agora gostaria de voltar, ainda há possibilidade de me inscrever para a prova? Sou nova aqui na cidade de São Paulo, procurei me informar nas escolas públicas perto de casa, porém ninguém tinha informação alguma sobre esse assunto.
    Obrigada,

    ResponderExcluir
  21. Oi Anônima!
    Se você não fez a prova teoricamente não poderá participar da atribuição. Mas cabe salientar que no meio do ano passado a SEE-SP elaborou uma resolução "rasgando a lei 1093" e liberando a participação em atribuição dos professores e professoras que não fizeram a prova.
    Qual motivo? A falta professor na rede.
    Portanto fique atenta as informações do Sindicato e sempre verifique as orientações da sua D.E.

    ResponderExcluir
  22. sou professora já há 15 anos na rede e Acabei fazendo 34 pontos na prova que será utilizada esse ano de 2011, quero saber se ainda será somado ao tempo de serviço , ou esse ano já mudou tudo, caso isso ocorra ok devo fazer, obrigada Mara

    ResponderExcluir
  23. Olá, sou da categoria "O" e tive aulas atribuídas no início de 2010. Também passei nessa provinha de 2011, mas como fica minha situação com a prevista quarentena. Não sei se posso pegar aulas em 2011. Se não puder qual o sentido de fazer essa tal provinha.
    Estou desanimada com a situação do professor penso até em mudar de carreira.

    ResponderExcluir
  24. Olá Professores e Professoras!
    Novas informações sobre atribuição:
    Sobre sobre a prova dos professores temporários - Está valendo o que foi definido entre o sindicato a justiça e asecrataria de educação - a nota da prova + a pontuação do tempo de serviço.
    Ou seja some a nota da prova com seus dias trabalhados. Ver (http://educacadoresemluta.blogspot.com/2010/12/resultados-da-prova-ofas.html)
    Leia mais sobre a resolução de atribuição em:

    (http://educacadoresemluta.blogspot.com/2010/12/atribuicao-de-aulas-2011-resolucao-se_20.html)

    ResponderExcluir
  25. Como será a atribuição 2011?
    Segundo o ultimo Fax urgente da APEOESP o novo secretário já mostrou a que veio. Não acolheu o pedido da categoria e irá fazer a atribuição nas Escolas. O sindicato entrou com um processo judicial para cobrar o processo centralizado.
    Portanto teremos insformações novas em breve sobre essa questão.

    ResponderExcluir
  26. Categoria "O":
    Segundo Fax Urgente (httphttp://apeoespsub.org.br/teste/Fax/Fax_0211.pdf) a situação da categoria "O" está pendente. O novo secretario disse que iria encaminhas em caráter de urgência (em dezembro) um projeto de lei que altera a quarentena. Ocorre que o citado projeto não foi votado em tempo hábil e os contratos foram extintos, restando, portanto, como questão a ser equacionada.

    ResponderExcluir
  27. Olá,

    Tenho uma dúvida - cuja informação não consigo achar no site do governo e nem no da DE da minha cidade.

    Qual é afinal, a data para atribuição de aulas - 2011??

    Outra coisa pessoal: Que negócio é esse de pontuação na prova?? Ao confrontar o gabarito de Sociologia com o disponibilizado no site do governo, constatei que os gabaritos de Matemática, Biologia e Sociologia eram os mesmos rsrs Patético se não fosse trágico...

    Outra ainda: dizem que está faltando professores de Ciências humanas e sociais, mas, cadê as aulas???

    E mais: no magistério funciona a Lei de Oferta e Procura?? Pois, parece que procuram-se por professores, mas eu não vejo os salários aumentarem, estranho não acham??

    Obrigado,

    Renato

    ResponderExcluir
  28. Oi gente pertenço a categoria "o" e fiz 48 pontos na prova para Língua Portuguesa... acabei de terminar a faculdade, será que passarei o ano de 2011 desempregada??

    Ana Paula

    ResponderExcluir
  29. Olá estou muito triste, minha escola sede me informou que fiquei com nota 30 na prova portanto não aprovada, sou da categoria F e mesmo assim os O e os L passarão na minha frente,alguem me ajuda estou muito nervosa, isso tudo é verdade

    ResponderExcluir
  30. colega Ana Paula, vc tem que pensar que acabou de sair da faculdade e pode abrir outros horizontes, veja o meu caso 15 anos de estado categoria f e vc mais nova com mais oportunidades na vida passará na minha frente,sendo que p mim será muito mais dificil fazer outra coisa

    ResponderExcluir
  31. Pessoal nosso inimigo é o governo!
    Esses crápulas nos separaram em categorias, rasgaram nosso plano de carreira, aumentaram a quantidade de alunos nas salas de aulas... enfim tornaram nossa vida um inferno!
    A estratégia desses crápulas está dando certo jogar um professor(a) contra outro(a) !
    Essa é o momento de união e de luta, pois a maldade desses bandidos não tem limites!!

    ResponderExcluir
  32. Os professores categorias 'O" que passaram na prova poderão dar aulas esse ano, pois os incompetentes da SE de Educação prorogaram a quarentena. segundo ofício da SE de Educação Ver em:(http://www.dersv.com/Atribuicao_comunicadocatO_27012011.pdf)
    Pessoal isso não é lei!
    Isso é um comunicado interno.
    Não há nada na legislação que legitime isso!
    vamos aguardar!

    ResponderExcluir
  33. A professora que está pedindo a nota da prova para a escola, não fazer isso!!
    Não podemos delegar nossa vida funcional aos gestores das escolas (Diretores, Secretárioes e Coordenadores Pedagógicos) não confie plenamente seus direitos a terceiros.
    Ha centenas de casos no sindicato de professores que foram prejudicados por confiar nessas pessoas.
    Há casos de professores que eram categoria "F" e cairam para a categoria "L" por culpa da gestão escolar (hoje devem entrar na justiça para rever essa falha)
    Há casos de professores que perderam o prazo para recursos das provas que realizaram por culpa das secretárias de escolas e diretores.
    Portanto, para tirar dúvidas de sua profissão procure um conselheiros do sindicato ou a acessoria jurídica na sua subsede!

    ResponderExcluir
  34. (Anônimo disse... Olá estou muito triste, minha escola sede me informou que fiquei com nota 30 na prova portanto não aprovada, sou da categoria F e mesmo assim os O e os L passarão na minha frente,alguem me ajuda estou muito nervosa, isso tudo é verdade)

    Procure saber qual sua nota e obtenha uma comprovação por escrito (procure ter em mãos sua ficha de inscrisão)
    Professora, os professores categoria 'F" possuem a tão falada "estabilidade" mesmo que não passarem na prova tem garantido as 12 aulas de permanência.
    Para mais detalhes consulte a legislação que regulamenta a atribuição de aulas.

    ResponderExcluir
  35. Olá Renato!!
    A atribuição de aulas será realizada parte nas escolas e parte nas D.E.
    Consulte o cronograma de atribuição na sula escola ou na sua D.E.

    O governo do estado de São Paulo já provou sua incompetência em gerir a educação paulista. As "lambanças" nas provas, no SARESP, e em organizar a rede são resultado dessa incompetência.
    No nosso entendimento as provas meritocráticas e avaliativas são mecanismos de punição ao professor e não contribuem en nada para a melhoriua da educação, pelo contrário acentuam a disputa entre nossos pares.
    Seria correto se tivessemom um processo avaliativo associado à formação continuada presencial nas universidades públicas.
    Seria correto se tivessemos a imediata contratação de 100.000 professores que estão em situação de precariedade na rede(contratos nocivos a carreira do magistério).
    Mas isso não tem ocorrido. pelo contrário, a falta de professores na rede é uma realidade sim!
    Na periferia de São Paulo, por exemplo, no ultimo ano não havia professores sufucientes nas escolas, muitos alunos ficaram sem aulas.

    Nesse contexto é comum, no início do ano, haver uma grande procura por aulas, mas durante o ano há muitas desistência, afastamentos.
    Nossa profissão é uma das mais stressantes além disso trabalhamos em condições precárias com salas superlotadas e recebendo salários ridículos. Logo, estamos ficando doentes e fora das salas de aulas.

    Ver:
    http://educacadoresemluta.blogspot.com/2010/06/professores-doentes.html

    http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/10711

    http://www.posgrap.ufs.br/periodicos/revista_forum_identidades/revistas/ARQ_FORUM_IND_3/SESSAO_L_FORUM_Pg_75_83.pdf

    http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?idConteudo=38

    ResponderExcluir
  36. Olá... acabei a faculdade agora, fui aprovada no processo seletivo simplificado e fiquei em 161º na categoria O - aulas. Não consigo entender como funciona daqui pra frente nem como devo proceder para conseguir aulas. Devo ir na DE no dia das atribuições? Tô meio perdida. Socorro, Claudemir. rs

    ResponderExcluir
  37. Opppsss.. não sou da categoria O, pois nunca dei aula antes.. continuo perdida sobre a atribuição de aulas... No caso eu me encaixo em "candidatos à contratação"?

    ResponderExcluir
  38. Oi Patrícia!!!
    Acesse o sítio da Diretoria de ensino onde fez a sua inscrição e fique atenta ao cronograma de atribuição.
    Veja o Exemplo do cronograma proposto pela SUL 1 (http://desul1.edunet.sp.gov.br/site%20novo/destaques%20pagina%20inicial/atribuicao%20cronograma%20jan%202011.htm)

    Entenda sua categoria: acesse esses documentos:
    (http://educacadoresemluta.blogspot.com/2011/01/mais-informacoes-sobre-atribuicao-de.html)

    ResponderExcluir
  39. olá sou categoria O e não passei na prova , será que realmente não vou poder dar aulas este ano???? estou muito nervosa

    ResponderExcluir
  40. Segunda a resolução os professores categoria "O" que não passaram na prova não poderão dar aulas nesse ano. Mas é bom aguardar, pois há boatos na rede que vai faltar professores!!!
    Principalmente nas áreas periféricas da cidade de São Paulo e Grande São Paulo.
    Certamente se isso ocorrer os incompetendes da SEE de São Paulo novamente irão elaborar uma resolução "liberando geral" a atribuição.

    ResponderExcluir
  41. edvaldo francisco nascimento3 de fevereiro de 2011 11:33

    Bom dia !

    Meu nome é Edvaldo sou categoria f, na escola que eu trabalhava me disseram que ue não poderia fazer a prova de mérito mesmo eu sendo categoria f e hj na atribuição fui prejudicado pois não passei na prova e só cou escolher depois de todas as categorias e acho injiusto pois quase todos os professores estão escolhendo porque passaram na prova de merito e agora não tem nada que eu possa fazer?

    ResponderExcluir
  42. Edvaldo, sou contra todas essas malditas provas que o governo inventou para ferrar com nossa categoria.Mas infelizmente fomos derrotados e essas malditas viraram leis.
    A prova de mérito é um engodo, pois rasga nosso plano de carreira e institui a quebra da isonomia (atenta contra a constituição) dos salários.
    Sabendo disso, o governo então se antecipou ações de boicote dos professores e legitimo-a aceitando-a como forma de seleção para atribuição.
    Sua escola errou, pois não deveria ter dado essa orientação.
    Não acredite nas orientações de Dirigentes, Supervisores, Diretores, Secretários e coordenadores, pois a grande maioria ditam e aplicam as regras do governo, e muitos deles são até mais implacáveis.
    Tudo que for relativo a sua função esteja atento nas leis. Não aceite orientações que lhe prejudique sem estar no papel.
    Peça tudo por escrito (via requerimento padrão) Se você tivesse tido a orientação por escrito que não poderia fazer a prova de mérito certamente poderia processar os responsáveis pela escola e talves pleitear algo.
    Mesmo assim é necessário dar um ultimato aos (i)responsáveis por essa informação errônea que possivelmente pejudicou sua atribuição.
    Se você conseguir arrancar da escola esse comprovante de inconpetência pode ser que de para fazer algo. Mas acho que agora é muito difícil.

    ResponderExcluir
  43. Professores e Professoras, hoje estava fiscalizando a atribuição das categorias "f" na Delegacias de ensino (aqui na capital - SUL 3 nos polos de atribuição.
    Várias professoras estavam revoltadíssimas com o absurdo de não poder escolher aulas nas escolas que achasse melhor ou não as prejudicasse (conflito entre horários) na prefeitura.
    Percebi que as supervisoras estavam orientando os professores (principalmente aqueles que tiveram aulas atribuídas no mesmo horário que a prefeitura) a cessar os cargos e desistir das aulas. Pois a a legislação de atribuição obriga a todos a pegar suas aulas (se sobrar) na mesma escola que estavam no ano passado
    Quem cessar estará desistindo da categoria “f” e se quiser das aulas no Estado novamente será contratado precariamente.
    A orientação é para que se peque as aulas e negociem com as escolas a adequação dos horários. Dessa forma garante as aulas na prefeitura e no Estado, preservando a categoria “F”.
    Se houver truculência na negociação, é necessário garantir o direito legal (é lei) do acúmulo via ação judicial. Acione imediatamente o sindicato, principalmente os militantes da OPOSIÇÂO ALTERNATIVA – APEOESP, para auxiliá-los.

    ResponderExcluir
  44. BOM DIA , VENHO ATÉ AQUI PARA RECLAMAR E EXPRESSAR MINHA INDIGUINAÇÃO REFERENTE AO PROCESSO DE ATRIBUIÇÃO DE AULAS 2011, SOU FORMADA E HABILITADA EM CIENCIAS/QUIMICA ,CATEGORIA F APROVADA , PERDI MINHAS AULAS DE QUIMICA PARA PROFESSORES NÃO HABILITADOS EM QUIMICA, COM FORMAÇÃO EM BILOGIA E EM MATEMÁTICA , ONDE TINHAM A DISCIPLINA DE QUÍMICA COMO CORRELATAS, NÃO ACHO JUSTO , FUI MUITO PREJUDICADA, ONDE FICA A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO???? AGORA ESTOU EU SEM MINHAS AULAS , FUI MUITO PREJUDICADA POR QUE TODO ANO MUDAM-SE AS LEIS PARA ATRIBUIÇÃO , E FALANDO EM LEIS , A ATRIBUIÇÃO DE AULAS A PROFESSORES NÃO HABILITADOS É CONTRA A LDB, MAIS UMA VEZ QUEM É PREJUDICADO É O PROFESSOR ,MAIS UM EXEMPLE FOI DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA PODENDO PEGAR AULAS DE BIOLOGIA...AFFF...É O FIMMM, ESPERO Q ALGUÉM LEIA ESSE E MAIL E POR GENTILEZA ME RESPONDA, OBRIGADO.


    TUPÃ, 04 FEVEREIRO 2011

    ResponderExcluir
  45. Quero expressar aqui a minha indignação em relação ao ponto que chegou a escola pública e a profissão de educador da mesma.

    Cadê a GREVE??

    Assistam esse vídeo do filósofo Paulo Ghiraldeli, e vejam se ele não ilustra bem o medo que muitos professores contratados ou "estáveis" têm, de perder os seus empregos com salários de fome e condições de trabalho inaceitáveis.

    Sabe gente? Eu dei aulas em 2000 e 2001, e depois disso, envergonhado com o meu rico salário que variava entre 200 a 1500 reais, fui ser motorista-carreteiro, e descobri uma coisa: motoristas de caminhão e professores da rede pública, têm algo em comum: toda a sociedade cospe na cara deles, humilha, ridiculariza, mas, embora o caminhão seja responsável por 95% do transporte de tudo, ainda assim ELES NÃO FAZEM GREVE!!!!

    Embora o professor da escola pública tenha sido eleito com uma espécie de babá da pior qualidade, cujo trabalho foi reduzido a tomar conta de adolescentes rebeldes e muitas vezes criminosos, ainda assim, OS PROFESSORES NÃO FAZEM GREVE.

    Quero ver se ficamos 6 meses em greve como é que fica a educação.

    Será que nós somos como o passarinho do vídeo do prof. Ghiraldeli, que estamos sempre esperando alguém vir dar a comidinha na nossa gaiola??

    Ora, se os salários são de fome e as condições de trabalhos são ridiculamente desumanas, por que os docentes ainda ficam mendigando essa merda?? - Como uma profa. que disse aí acima que está desesperada pq tirou nota 30 e vai ficar sem aulas.

    Amanhã é o dia da atribuição dos contratados da classe "O", na qual estou inserido.

    Só vou lá dar uma olhada... apesar de estar afastado há quase 10 anos do magistério, estou sabendo que de lá para cá a coisa piorou; que o Governo está precisando de professores; que a demanda aumentou, mas os salários e as condições de trabalho continuam os mesmos...

    Pq vc não consegue fazer subir o frete, por exemplo?? Por que, enquanto todo mundo diz: "por esse preço (suponhamos R$ 50,00/tonelada) eu não carrego", sempre aparece uma tarântula venenosa (pessoas covardes e fracas, na linguagem nietzscheana) para implorar baixinho sem que ninguém ouça: "Olha, dá essa carga para mim, eu vou por R$ 48,00.

    Do mesmo modo, muitos docentes gostariam de gritar em alto e bom som, que querem ganhar R$ 25,00/ hora-aula, mas, assim como no exemplo acima, há as tarântulas que estão mendigando os ricos R$ 5,00/ hora-aula, e, se fosse possível, falariam baixinho: "Ei, dê para mim essa carga horária inteira, que eu vou por R$ 3,00/ hora-aula.

    O problema já é conhecido por todos http://www.youtube.com/watch?v=Rmlq4uMb-4A

    Mas, ainda assim, fica-se semanalmente nas atribuições mendigando aulas.

    A professora do vídeo diz que o professor perdeu a dignidade, mas ainda assim continua-se a mendigar aquelas aulas.


    "Porrada, nos caras que não fazem nada!" (Titãs).

    Que o problema vem lá de cima - Banco Mundial, UNESCO, OMC e outros - nós já sabemos.

    Que os programas de pós-graduação em Educação das UNESPs, USPs, e UNICAMPs da vida, de mestrado e doutorado estão a serviço do MEC, e que foram as teses dos respeitáveis doutorecos que enxameiam nos seus horizontes de hipocrisia e cinismo que produziram o discurso para a elaboração do novo currículo (PCNs e PCNem), poucos saibam talvez.

    Cabe também aos professores de História, Geografia, Filosofia e Sociologia ensinar a seus alunos pq a escola foi transformanda nessa merda que ela é, porque os alunos acreditam, ou melhor, a ideologia desses doutorecos perversos disseminada através dos capitães do mato, fizeram os alunos crer que o problema da escola pública está no professor.


    Estou com o Claudemir: não deixem que os capitães do mato decidam sobre seus direitos. Eu iria além: não deixem que, aqueles que estão acima dos capitães do mato (Ministro da Educação e seus asseclas, professores mestres e doutores que produzem o discurso neoliberal em educação) decidam sobre suas vidas.

    Até mais,

    Renato (Prof. de Sociologia)

    ResponderExcluir
  46. Olá pessoal,

    Reli o post e parece que me esqueci do vídeo do prof. Ghiraldeli Jr. Aí vai ele

    http://www.youtube.com/watch?v=PsOSN0GMQpU

    (Assistam que é muito bom) ;)

    Abçs

    Renato

    ResponderExcluir
  47. Citar: Claudemir Mazucheli

    "Nossa profissão é uma das mais stressantes além disso trabalhamos em condições precárias com salas superlotadas e recebendo salários ridículos. Logo, estamos ficando doentes e fora das salas de aulas."

    E até quando aturar isso?? Cadê a greve??

    O que precisa é de uma greve geral.

    Mas a incompetência do Estado em gerir a Educação pública é uma moeda de duas faces:

    De um lado está os gastos com os docentes, pois, se o titular de cargo falta, o governo contrata o OFA, e se este falta, há alguma espécie de substituto quase passando fome que vai lá cobrir - eu mesmo já fiz isso. Eles só ligam na tua casa nas Sextas-feiras à noite...

    Por outro lado, é uma estratégia bem urdida, pois, dá-se uma prenda, faz um "agrado" ( = salário) para que ele venha cobrir a aula, e assim, a escola pública pode fornecer números e estatísticas ao Banco Mundial - senão este pára de emprestar dinheiro para o Brasil.

    Talvez os titulares de cargo não queiram fazer a greve, pois sabemos que as faltas não prejudicam suas carreiras.

    Mas, e os OFAS?? Por que estes não fazem greve??

    Não vale o argumento de que "estão precisando das aulas", pois qual é a diferença de ficar em casa sem fazer nada ou ir dar aulas e ganhar R$ 200 ou 300 para ficar passando nervoso e acabar doente no final??

    É isso que eu não entendo: a coisa está ridiculamente ruim, mas, paradoxalmente, os profs. até brigam por aulas nas atribuições...

    Desejo que todos os professores tenham coragem de fazer greve o quanto antes.


    Boa sorte a todos

    ResponderExcluir
  48. A greve é o ápice da luta por nossos direitos! É certo que as maiores conquistas de nossa categoria foram conquistadas através das greves, (o estatuto do magistério paulista é um exemplo disso) por ele e por outras conquistas muitos foram jogados do vão do MASP pela cavalaria da polícia na década passada. Isso é comovente! Conheci pessoalmente alguns esses heróis!
    Em 2000 fomos literalmente espancados pela tropa de choque do governo! E lá estavam, os efetivos e os OFAS! Conheci alguns que relembram esses momentos com água nos olhos dizendo “a população nos apladiu, pois reconheceu nossa luta e a covardia do governo”
    Em 2008 e 2010 estamos novamente na Paulista (60.000 OFAS e Efetivos).
    Hoje convivemos com um dilema, alguns, mais velhos se dizem cansados da luta constante, alguns mais jovens não sabem que o que temos hoje é fruto dessas lutas, e assim o mundo caminha.
    Há aqueles que nem acreditam em luta coletiva e muito menos em construir um sindicato forte (esse que está ai é pelego, mas é pelego pois não há participação). Há aqueles ainda que acreditam que alguns professores devem lutar por eles, mas quem lutará por esses?
    Se continuarmos nessa reflexão chegaremos na conjuntura política contemporânea (de recuo das lutas de massas) devido ao apelo economicista, imediatista e individualista da vida moderna.
    Meus queridos fomos derrotados na ultima greve, e já sabíamos que o “chicote sangraria nossos lombos”, muitos não acreditaram, mas o momento chegou! Tem porrada para todo mundo! OFAs, efetivos e eventuais. A precarização tende a piorar, essa atribuição é emblemática, está desgraçando a vida de muitos, vide relato da professora Line, (a sensação de impotência nessas horas é gigantesca - meus sangue ferve nas veias nas as minhas mão estão atadas)
    Está tudo perdido? Não!!
    Lembro de uma canção - Gaúcho da fronteira- “não me entrego nem que me caia as calsas” (é uma citação ridícula essa, mas está valendo -rsrsr)

    ResponderExcluir
  49. A greve é apenas um momento da luta, antes dela é necessário organizar nossa escola e ter muita paciência para convencer nossos colegas da importância dessa luta. Temos que construir dentro das escolas uma plano de luta contra os desmandos da direção e da coordenação, contra o mau uso dos HTPC (exigir esse nosso espaço para formação continuada e fazer discussão da nossa profissão) . Convencer nossos pares da importância de participar dos conselhos de escola (exigir da direção transparência dos gastos e verbas públicas). Devemos nos intrometermos em cada canto da escola e desnudar as armadilhas perversas do governo.
    Isso é conscientização! É difícil? Sim!
    Vai haver resistência, assédio moral, professor com medo, (até de falar bom dia – rsrsrs). Mas as armadilhas do governo não escolhe professor, quanto menos se espera, até os “amigos do rei” estarão dizendo que você estava correto.
    Queridos, sem essa luta diária as greves não são legítimas, serão todas curtas e despolitizadas!!

    Alguns freses de Paulo Freire para reflexão
    "Além de um ato de conhecimento, a educação é também um ato político. É por isso que não há pedagogia neutra."
    “A força do opressor está na covardia do oprimido", ela diz tudo. (Freire)
    "Quando um sonhador se junta a outro sonhador eles encurtam a distância entre o sonho e a vida sonhada."

    ResponderExcluir
  50. Hoje teve a atribuição dos OFAs "O", em cuja categoria me insiro. Graças a Deus consegui pegar somente aulas de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio.

    Jà estou sabendo que, após trabalhar o ano inteiro, não vou ter férias e décimo terceiro.

    Minha pergunta é: quais outros benefícios são "cortados" dos docentes da categoria "O"?

    Não me digam que não conta tempo de serviço para aposentadoria??

    Pois é, isso é o que literalmente se chama de "TOTAL FALTA DE DIREITOS TRABALHISTAS". Estou até pensando em procurar o sindicado, conforme o desenrolar dessa "estória"...

    Devo procurar a APEOESP??

    Agradeço informações nesse sentido,

    Abçs,

    ResponderExcluir
  51. ENTÃO GENTE É ISSO AHE , É A QUALIDADE DE ENSINO QUE O GOVERNO VAI MOSTRAR ESSE ANO DE 2011, QUANDO PERMITIU QUE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA PODEM DAR AULAS DE BIOLOGIA , PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DAR AULAS DE QUÍMICA, PIOR, PROFESSORES HABILITADOS PERDERAM SUAS AULAS PARA PROFESSORES NÃO HABILITADOS...TUDO CONTRA AS LEIS DA LDB...É O FIM, ESCOLA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTÁ FALIDA.

    ResponderExcluir
  52. Amigo Claudemir,

    Quero expressar aqui o meu agradecimento pelo seu importante trabalho no tocante às lutas trabalhistas no âmbito dos profissionais da educação.

    Apesar de ter um quadro de 29 aulas semanais de Filosofia e Sociologia, e estar muito feliz por estar novamente empregado na profissão de docente, minha preocupação agora é com a ausência de direitos trabalhistas da categoria "O".

    Parabenizo o seu trabalho, e quero dizer que, vejo nesse seu site um efetivo e importante espaço para o debate sobre as questões trabalhistas da nossa classe.

    Parabéns pelo seu trabalho.

    Um abraço,

    Renato

    ResponderExcluir
  53. Oi Line!
    A escola pública não está totalmente falida, há ainda verdadeiros guerreiros e guerreiras que resistem aos desmandos dos governos. Diria que estamos em uma crise profunda.
    Crise estrutural e pedagógica (responsabilidade de governos incompetentes) e crise na direção do nosso sindicato (SINDICATO CHAPA BRANCA - APEOESP cutista - Artisind, Artinova e CTB).
    Mas, a saída está nas nossas mãos! Somos mais de 200.000 só em São Paulo e temos a maior instituição sindical da América Latina!
    Vamos à luta!
    É nosso dever trocar essa pelegada (APEOESP – CUTISTA por verdadeiros lutadoras e lutadores (há um grupo de oposição em franca ascensão dentro de nosso sindicato).
    Juntos, devemos construir um sindicato independente de patrões e de governo que realmente contribua para resgatar “o caráter” público e de excelência de nossas escolas.
    Devemos desmascarar os falsos discursos dos governos federal, estadual e municipal, que vociferam possíveis avanços nas políticas educacionais no Brasil.
    Devemos organizar nossas escola, denunciando todas as mazelas que nos aflige, não queremos salas superlotadas, não queremos salários miseráveis, não toleraremos gestão escolar autoritária, não toleraremos assédio moral (de supervisores, diretores e coordenadores).
    Queremos que nossos HTPCs se transformem em espaços de formação continuada e de discussão dos problemas de nossa categoria. (renunciar a burocracia – preenchimentos de papeis e inutilidades propostas pelas coordenações a mando das Delegacias de Ensinos).
    Devemos lutar por uma escola verdadeiramente democrática com eleições diretas para diretores, com mandatos revogáveis!
    Devemos lutar pela construção de grêmios livres nas escolas (aluno como aliado).
    A escola deve acolher a comunidade e não expulsá-la! Por conselhos de escolas paritários. (professores + comunidade + alunos + funcionários + gestão).
    Proporcionar um ambiente de formação comunitária baseada em valores coletivistas e humanistas. (transformar pais passivos em pais ativos e responsáveis).
    E por ai vai!!!!
    O desafio é grande!
    Nossa conquista sempre será do tamanho de nossa luta!

    ResponderExcluir
  54. Renato, obrigado pela força!
    Pertencendo a classe que vive do trabalho não posso me dar ao "luxo" de jogar pela janela a profissão que escolhi além do mais, acredito ser uma das estratégias respensáveis pela superação barbárie reinante.
    Aprendi na luta que só professor ajuda outro professor, portanto o que faço não é virtude e sim estratégia de sobrevivência!
    Podem me chamar de idealita, utópico, sonhador...

    Mas....
    "Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã." (Victor Hugo)

    "A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar." (Eduardo Galeano)

    Um Grande Abraços!

    ResponderExcluir
  55. Anônimo
    "Minha pergunta é: quais outros benefícios são "cortados" dos docentes da categoria "O"?
    Pois é, isso é o que literalmente se chama de "TOTAL FALTA DE DIREITOS TRABALHISTAS". Estou até pensando em procurar o sindicado, conforme o desenrolar dessa "estória"...
    Devo procurar a APEOESP??

    Aprendi que só professor ajuda outro professor, muitos procuram informação na Secretaria de Educação, da Delegacia de Ensino na Direção, é "a historia da mulher que apanha do marido que pede apoio à mãe do marido". (não estou afirmando que é seu caso)
    Temos a obrigação de compreender as leis que regulam nossa profissão, portanto uma consulta a LDB e ao Estatudo do Magistério (444)é sempre útil. (sabemos que essa legislação é deixa a desejar, mas temos que usar as téticas do governo usar as leis ao nosso favor, nada melhor como conpreende-las)
    As Leis 1093, e 1094 são as mais novas vedetes da precarização de nossa profissão.
    A 1093 regulamenta as “n” categorias, as malditas provinhas (vale mais uma prova do que os anos de graduação e os anos de mestrado e doutorado). Lá há informações sobre as categorias “L” e “O” e seus respectivos contratos.
    A 1094 legitima a meritocracia que é inconstitucional, pois quebra a isonomia salarial.

    Quanto a procurar ou não o sindicato: escrevi acima que temos um sindicato pelego (bate no PSDB e esconde as maldades do PT) no entanto, “é melhor com ele do que sem ele” . A classe trabalhadora ainda não construiu um organização mais poderosa que o sindicato para lutar contra os patrões. Ainda é mais vantajoso procurar o Sindicato do que o Governo.
    Se na sua região tiver os militantes da Oposição Alternativa, procure-os que certamente lhe darão melhor atendimento.
    Tenho ouvido muita crítica a respeito do sindicato, mas cabe esclarecer que algumas não tem fundamentos:

    “O sindicato está se vendendo ao governo”

    Temos companheiros da OPOSIÇÂO ALTERNATIVA que acompanham as negociações. Não há mala de dinheiro.
    Mas sabemos que a direção do sindicato (os cutistas – ligado a CUT) é pelega, pois rejeita todas as críticas que são feitas ao governo federal (petista e cutista).

    “A APEOESP não está fazendo nada para resolver os problemas dos professores”

    Vamos com calma! (A APEOESP poderia ter feito mais se não fosse chapa branca)
    Cabe ressaltar que sindicato só existe quando há participação, não existe conquista quando delegamos a ação para terceiros. Portanto, sindicato ativo, livre, autônomo e independente de patrão e governo é aquele que existe através da participação efetiva da maioria de seus filiados. (temos que cobrar soluções, mas também estar juntos propondo e construindo nossas lutas).
    Temos que nos apoderarmos dessa instituição! Todos e todas ao sindicato para espantar a pelegada burocrata. (burocrata: aqueles que usam o sindicato para fins pessoais e não para a luta coletiva)
    “A APEOESP não muda as leis”.

    O sindicato não é governo!
    Sindicato organiza luta, a luta tem seu fim na greve, greve derrota o governo e as leis.
    Quem que fazer greve?

    “Eu pago o sindicato para eles lutarem por mim”
    Frase infeliz! O sujeito paga o sindicato de “papel e de cimento” ele paga a luz o telefone os funcionários e as ações judiciais.
    O sindicato político não tem preço, a luta não tem mediação, deve ser construída por todos os trabalhadores.


    Relembrando esse ano é ano de eleições, certamente a pelegada ganhará novamente e as OPOSIÇÔES ficarão em suas lutas encarniçadas dentro de algumas subsedes.

    Como mudar isso? Participando efetivamente do sindicato, conversando com os MILITANTES da OPOSIÇÃO ALTERNATIVA!

    Obs! Militantes são os guerreiros e guerreiras que dedicam uma parcela de seu dia para construir as lutas (sem ganhar um tostão por isso)

    ResponderExcluir
  56. Após a última atribuição da DE/SP/Centro em 09/02/11 no pólo "Matão", por favor quando haverá continuação? Nesse dia, marcada p as 12h00, começou ás 13h00 e de fato, as chamadas às 14h30!
    Mais ou menos às l6h00, tudo parou e a notícia era que acontecera atribuições erradas nas UEs- as salas tinham que retornar para a DE e chamados aqueles docentes erroneamente atribuidos, para novamente participar do processo.Outra informação é que a MAIORIA DA SALAS eram pelo Art. 22. A SAGA terminou às 19h35 com a promessa de que viriam as salas livres , que continuaria da própria DE ( Av. Olavo Fontoura)e que acompanhássemos pela Internet.Onde se lê, tudo é o mesmo:Falta professor!E agora?As aulas começaram e aluguel vence dia 10!!Há alguma outra notícia?Obrigada.

    ResponderExcluir
  57. Olá Anônimo!!
    Nesses casos protocole requerimento padão (em duas vias) na Diretoria de ensino exigindo esclarecimentos (sempre por escrito) pelo ocorrido.
    Caso não receba resposta no prazo legal (10 dias) acione um advogado.

    ResponderExcluir
  58. Um professor de Filosofia pegou aulas na minha frente na U.E de História no ensino médio. Seu histórico tem as seguintes matérias História da filosofia moderna,da filosofia contemporânea e história da filosofia grega, somando 160 horas. Isto está correto? Somos ambos categoria F

    ResponderExcluir
  59. ESSE ANO VIROU BAGUNÇA TOTAL, TBM PERDI MINHAS AULAS DE QUIMICA PARA UMA PROFESSORA DE BIOLOGIA, SOU HABILITADA E ELA NÃO, E AMBAS SOMOS CATEGORIA F, ISSO NÃO É CORRETO, É CONTRA O Q DIZ A LDB, ENFIM , BAGUNÇA TOTAL...

    ResponderExcluir
  60. Muito me entristece ver os professores tão desunidos, justamente quem deveria esclarecer a opinião publica, entrando no jogo sujo do governo estadual é porfessor contra professor, sindicalista contra sindicalista, percebam que tudo isto é uma simples questão de enfraquecimento da luta, categoria desunida é fácil de ser manipulada, meus sentimentos.

    ResponderExcluir
  61. Professores e professoras!
    Para o sucesso de nossa luta coletiva não é salutar que nos "deixamos cair nas armadilhas do governo". Se iniciamos uma "guerra" entre nós dentro das escolas estaremos "mordendo a isca desses salafrários".
    Devemos lutar pelo fim das provas e pela estabilidade para todos os OFAs, por um plano de carreira único e aberto, com reajustes lineares e evolução funcional por tempo de serviços e titulação. Somos contra as provas de desempenho.
    Somos contra as leis 1093, 194 e 1097.
    Atribuição de aulas 2011 - Estamos percebendo uma confusão muito grande no entendimento da legislação entre diretores de escola e dirigentes de ensino. Cada localidade está fazendo sua. Nesse sentido, é importante que todos os professore façam a leitura dessas legislação para poder entendê-las e também para convencer nossos colegas da importância de sua revogação, caso contrário todos os anos estaremos numa luta encarniçada contra nós mesmos.
    Nossa ultima greve, (80% da categoria – praticamente 160.000 professores e professores fizeram algum tipo de paralisação, estávamos unidos) foi realizada, entre outras coisas, também com o intuito de eliminar toda essa confusão, mas infelizmente fomos derrotados e a legislação está ai nos triturando.
    Agora é apagar o fogo! Orientamos para que, em casos de descumprimento dessa legislação (injusta), o professor ou a professora encaminhe um requerimento padrão questionando a Direção da escola e também o Dirigente de Ensino pelos problemas detectados. Protocole esse documento em duas vias (escola e diretoria de ensino) se não receber a devolutiva no prazo legal (10 dias) ou se a devolutiva ferir a legislação entre com uma ação judicial contra o dirigente e o diretor da escola.

    Repito:
    Devemos resgatar nossas bandeiras históricas, não podemos ficar refém das contradições do momento!
    Piso do Dieese por 20h/aula!
    1/3 de hora atividade já rumo aos 50%!
    Formação continuada nas universidades públicas com afastamento remunerado!
    Revogação das leis 1093, 1094, 1097/09!
    Estabilidade para todos os OFA’s!
    Abaixo a lei 1041/08(falta médica)
    Fim da promoção automática!
    Fim da avaliação de desempenho!
    Fim da municipalização!
    Incorporação do bônus e demais gratificações com extensão aos aposentados!
    Contra a nova reforma trabalhista e da previdência e contra o fator previdenciário!
    15% do PIB imediatamente para a educação pública!

    ResponderExcluir
  62. Citando Claudemir Mazucheli:

    "A escola pública não está totalmente falida, há ainda verdadeiros guerreiros e guerreiras que resistem aos desmandos dos governos. Diria que estamos em uma crise profunda.
    Crise estrutural e pedagógica (responsabilidade de governos incompetentes) e crise na direção do nosso sindicato (SINDICATO CHAPA BRANCA - APEOESP cutista - Artisind, Artinova e CTB).
    Mas, a saída está nas nossas mãos! Somos mais de 200.000 só em São Paulo e temos a maior instituição sindical da América Latina!
    Vamos à luta!
    É nosso dever trocar essa pelegada (APEOESP – CUTISTA por verdadeiros lutadoras e lutadores (há um grupo de oposição em franca ascensão dentro de nosso sindicato).
    Juntos, devemos construir um sindicato independente de patrões e de governo que realmente contribua para resgatar “o caráter” público e de excelência de nossas escolas.
    Devemos desmascarar os falsos discursos dos governos federal, estadual e municipal, que vociferam possíveis avanços nas políticas educacionais no Brasil.
    Devemos organizar nossas escola, denunciando todas as mazelas que nos aflige, não queremos salas superlotadas, não queremos salários miseráveis, não toleraremos gestão escolar autoritária, não toleraremos assédio moral (de supervisores, diretores e coordenadores).
    Queremos que nossos HTPCs se transformem em espaços de formação continuada e de discussão dos problemas de nossa categoria. (renunciar a burocracia – preenchimentos de papeis e inutilidades propostas pelas coordenações a mando das Delegacias de Ensinos).
    Devemos lutar por uma escola verdadeiramente democrática com eleições diretas para diretores, com mandatos revogáveis!
    Devemos lutar pela construção de grêmios livres nas escolas (aluno como aliado).
    A escola deve acolher a comunidade e não expulsá-la! Por conselhos de escolas paritários. (professores + comunidade + alunos + funcionários + gestão).
    Proporcionar um ambiente de formação comunitária baseada em valores coletivistas e humanistas. (transformar pais passivos em pais ativos e responsáveis)"

    ResponderExcluir
  63. Olá a todos,

    Vou comentar, agora, o excelente post do prof. Mazucheli.

    A proposta de fazer do HTPC um local para discussões que interessam a nós, à escola e aos alunos é sem dúvida alguma muito sensata. O problema é convencer todos os professores acerca dessa necessidade. Um outro problema é, outrossim, a vililância ideológica dos chamados "capitães do mato", que certamente tentarão impedir tal iniciativa.

    Tenho feito um discussão política em torno dos problemas da educação e da escola com os meus alunos, e o resultado têm sido fantástico: os alunos não são esses bandidos/arruaceiros/maloqueiros/ignorantes que a ideologia do MEC difundiu de forma caluniosa pela sociedade, através da mídia, não! Pelo contrário, eles enxergam a problemática dentro da escola: as diretoras chamam eles de vagabundos; funcionários chamam as garotas do Ensino Médio de "biscatinhas" e por aí afora.

    Os alunos são unânimes em concordar que estudam em uma "escola rica", do ponto de vista da estrutura física:

    1- Sala de vídeo: Data Show com notebook Itaú tec de 15", caixa amplificada de som, aparelhos de TV, DVD, vídeo de última geração (não fica atrás de nenhuma escola particular ou de uma USP OU UNESPs da vida)

    2- Sala de Informática com computadores de última geração.

    3- Internet da Telefônica, do tipo empresarial, com modem para gerar sinal de internet para todos os computadores da escola (Idem).

    4- Laboratório de Ciências

    5- Quadras esportivas para jogos como basquete, futebol e voleybol (isso não têm nas escolas particulares

    6- Biblioteca com apostilas, livros, computadores e etc.

    7- Estrutura física: ventiladores nas salas de aula, paredes pintadas, mesas, carteiras e cadeiras novas.

    8- Material de escritório: escrivaninhas, mesas, papeladas, telefones, computadores, tudo novinho...

    (continua)

    ResponderExcluir
  64. (continuação)

    Sem falar da merenda (Seria ela a retomada da política de Pão e Circo?)

    Bom...

    Uma escola rica, mas que....


    ... os alunos não podem usufruir de nada disso!!!

    Em um das escolas em que dou aulas de Sociologia, os alunos disseram que todos esses equipamentos, que, ao menos em tese, teria como objetivo o professor criar estratégias diversificadas de Ensino-aprendizagem, estão trancados a sete-chaves.

    Pedi para a vice-diretora da escola agendar para mim a sala de vídeo, e preparar o Data-Show, mas ela disse que o equipamento estava enguiçado.

    Bom, eu estava gritando na sala de aula (rsrsr), para todos ouvir: "como que numa escola rica dessas não se tem um ensino de qualidade"?? "Falei com a vice-diretora de vcs e ela me disse que o Data-show está quebrado". Para minha surpresa, os alunos disseram em alto e bom som: "É mentira dela, professor, ela disse isso porque não quer que nós utilizemos o equipamento, pois acha que vamos roubar, quebrar tudo.

    (Mais surpreendente ainda): No final da aula a vice-diretora já estava falando mansinho comigo e dizendo que iria providenciar o mais rápido possível o reparo do equipamento. Mas, no dia seguinte, em que eu tinha aulas pela manhã, nessa mesma escola, a diretora me disse, que, milagrosamente, o Data Show tinha sido consertado (rsrs) e então, me liberou o equipamento, dizendo para "tomar cuidado"...

    Na minha sede, a diretora se negou a ceder o Data Show para eu passar filme para os alunos. Alegou que "o Data Show não sai da biblioteca, use a TV".

    Deus meu!! Onde chegamos!!! Os dois principais SUJEITOS do processo educativo, PROFESSORES E ALUNOS, são chamados de vagabundos, pobres e indolentes, arruaceiros que não querem saber de nada, e agora, não só a sociedade, mas muitos professores e alunos já assumiram essa auto-imagem.

    (Continua)

    ResponderExcluir
  65. Não entendo uma coisa: por que o Serra fez esse investimento monstruoso em termos de infra-estrutura (Uma escola pública hoje, montada, vale hoje mais de 50 milhões de reais!!!), mas se nega a dar um centavo de aumento para os professores??

    Naquelas apostilinhas, há um discurso do Paulo Renato: "Pois é gente, o governo fez a sua parte, agora, cabe a você professor, promover a qualidade de ensino" (Hilário, se não fosse trágico).

    Simplesmente não consigo entender!!! Para que investir em educação (estrutura física da escola) sendo que ela não está formando o indivíduo para nada??

    Algumas hipóteses que eu pesquisei no mestrado.

    A escola é um mercado para os produtos da educação:

    1- Merenda escolar
    2- Comércio do livro didático
    3- Comércio dos produtos da informática

    Etc.

    Há casos relatados em que diretores de escola levaram (roubaram) os notebooks e Data-shows para suas casas.

    Sexta-feira mesmo, eu havia levado o meu notebook em outra escola - pois sei que o deles não tem os programas de codecs baixados para sair o som e a imagem do filme -, e uma funcionária me disse: "use o seu professor; todos os professores trazem os deles; esse aqui da escola não é tão bom quanto o de vocês"

    Rapaz!! o Equipamento estava novinho, tudo dentro da caixa. Os plásticos no notebook, não haviam sido retirados.

    Dali a pouco, nessa mesma escola, vi a vice-diretora gritando com um aluno no corredor e dizendo que ia chamar a polícia. Com efeito, minutos mais tarde, havia uma viatura da polícia na porta da escola.

    O Claudemir disse bem sobre a coação e a violência moral praticada por diretores, vice-diretores, coordenadores e funcionários sobre professores e alunos. Incrível! Simplesmente inacreditável!

    E, os quadros lastimáveis, de causar pena: professores, no fim da noite, exaustos, roucos de tanto falar com os alunos, exauridos, com aquele semblante mortificado, pálidos e, evidentemente, humilhados.

    (continua)

    ResponderExcluir
  66. Sei que devem estar perguntando: mas o que vc está fazendo além de reclamar.

    Todas as minhas aulas são voltadas para a problemática da escola.

    Tenho 13 aulas de Filosofia e 16 de Sociologia. Como sabem, a Sociologia é uma ciência que estuda e critica INSTITUIÇÕES SOCIAIS. A Escola, é uma Instituição Social, logo, ela é a primeira a ser criticada ;).

    Mas infelizmente, eu não vejo nas minhas escolas os outros professores de Geo, Hist, Fil e Soc. instar os alunos a se insurgirem contra a escola.

    "Não freqüentem a escola", digo eu a eles. "Fiquem todos nas suas casas"; "se houver um único dia em que nenhum professor e nenhum aluno aparecer na escola, a própria comunidade vai questionar, e tomar uma postura política e ativa perante a escola.

    Todos pensam que os alunos são trouxas e bobos. Porém, quando disse a eles que estudavam em uma escola rica, um deles fez a seguinte observação: "pois é, professor, é para os pais da gente ver, acreditar que a escola é boa, mas eles não sabem o que se passa aqui dentro".

    Os alunos sentem mais profundamente a humilhação porque passam, e o trabalho que eu tenho feito é o de mostrar que o professor não é o culpado por isso. Mas nem precisava, pois eles já sabem disso, pois não foi um professor que chamou um aluno (que trabalha de dia e estuda à noite) de vagabundo, mas sim a diretora da escola.

    Um professor de Química apontou para o óbvio: "Eles operaram o distanciamento entre diretores, professores e alunos". Penso que Marx já tinha obsevado isto no século XIX, quando disse que a burguesia separa trabalho intelectual de trabalho material, e paga mais para os primeiros, justamente para criar o distanciamento.

    Amigo Claudemir, às vezes fico desesperado. Não sei o que fazer: a gente vai para a escola para dar uma boa aula - normalmente passo fins de semana preparando aulas - mas quando você chega lá, não há condições o suficiente para ensinar, ou melhor para que o aluno aprenda, para que haja o aprendizado.

    (continua)

    ResponderExcluir
  67. (Continuação e fim)

    A minha contribuição aqui neste site, é a de apontar para a necessidade de se resgatar a auto-imagem positiva do aluno. É preciso fazer um trabalho - é um trabalho difícil e que só resulta a médio prazo - de descontruir o discurso cínico e perverso, difundido na mídia pelo MEC, de que o problema da escola é o professor e o aluno.

    Não é o aluno que faz a escola?? Como um aluno que é humilhado diariamente poderá construir uma escola de qualidade?? (Idem para o professor).

    Já até retiraram as aulas de Psicologia, em que os terapeutas existencialistas poderiam fazer uma "terapia em grupo" na sala de aula, resgatando a dignidade do aluno.

    Eles não acreditam em si mesmos, porque já vêm sendo humilhados e menosprezados na família, na fábrica, e... na ESCOLA!!

    ****************************

    Sobre o "Amigo da Escola" e o "Professor Eventual" (podem me chamar de reacionário se quiserem).

    Quem é este sujeito?? Ele fica escondido num canto da escola, na sala dos professores, ou em algum outro lugar.

    Normalmente tem um diplominha raso de pedagogia, e, em muitos casos não tem diploma de nada.

    Vocês estão com dó dele?? (do amigo da escola??).

    Saibam que eles dão aulas de Neurofisiologia e Cosmologia Quântica, se for necessário.

    Este tipo, DESQUALIFICA O PROFESSOR!!! Ele deve ser posto para correr. (Os alunos gostariam de fazer isso, mas é que a diretora pode chamar a polícia, nao se esqueçam disso).

    Sei dizer que dá para desanimar...

    E tem mais: o governo está tentando fazer isso com as universidades também. Conversei com o prof. Rafael, do Departamento da USC de Bauru - uma Universidade Católica de ótima qualidade - e ele disse que essa mentalidade da escola pública já chegou nas universidades.

    LUTA DE CLASSES

    Como o professor reage a essa situação: falta às aulas! Na impossibilidade de obter um salário e condições de trabalho dignas, a única forma de se elidir a essa rotina entendiante e desgastante é faltando às aulas, para se vingar dos alunos, e, por outro lado da diretora, e com isso a coisa piora, pq aí chega o "amigo da escola", e aí o aluno já sabe que há um idiota ha frente da lousa, à conta de babá, cuidando dele.

    Sou a favor da GREVE JÁ!!! Greve se faz sem sair de casa!

    Como o motorista de caminhão, que se funcionasse o seu caminhão na Segunda-feira de manhã, e todos fizessem o mesmo, em um mês este país, se tornaria misérrimo, e todos morreriam de fome, pq o caminhão é que leva 95% de tudo para todo o país.

    O que fazer?? Faltar às aulas? Largar tudo??

    Sei dizer que, o corpo vale mais do que a roupa, e a VIDA, vale mais do que o corpo.

    Um abraço,

    Renato

    ResponderExcluir
  68. Boa Tarde Professores e Professoras.
    Estamos vivendo um bom momento para discutirmos as propostas de educação pública dentro das escolas. Devemos aproveitar esse momento que o Secretário da Educação está tentando mostrar sua "bondade" e realmente construir um projeto de escolar verdadeiramente democrático.
    Estive numas dessas reuniões com o dirigente de ensino da minha região. Participei como representante da minha escola e agora também fui escolhido pelos colegas para sistematizar todas as propostas da Região SUL 3 da capital.
    Os professores da minha escola não titubearam, estão propondo uma escola IDEAL, pois acreditamos que não é momento de pedir, somente bons salários e infraestrutura. Queremos uma escola totalmente diferente.
    Oriento a quem participar dessa reunião para não ter medo do dirigente - ele não morde - devemos ser duros.
    Disse ao sujeito que dirige minha região (dirigente de ensino)que não somos palhaços para ser fantoche do governo e de nenhum burocrata de plantão. E que temos uma modelo de escola pública.
    Disse também que não iríamos aceitar nenhum "Cavalo de Tróia" dos asseclas do Alkimim.
    Disse que não acreditava nesse saco de bondades que esse novo secretário está montando e que estava ali para realmente para fincar a bandeira da escola pública de qualidade. Pois minha escola, e se depender de nosso grupo aqui, não seremos fantoches das maldades do novo Secretário.
    Cobrei também o dirigente que se responsabilizasse em encaminhar para todas as direções um ofício convocando as escolas a debater suas propostas educacionais, pois várias professoras disseram que souberam da convocação para comparecer na D.E. na noite anterior sem ao menos discutir a pauta da convocação (as direções não estão liberando os HTPCs e /ou (dispensa de alunos) para a discussão das propostas).
    Professores e Professoras não abaixem a cabeça para essa camarilha!
    Temos que ser duros nesse momento.
    Vejam a proposta construída entre os professores da minha escola.
    Quem tiver oportunidade discuta essa proposta em sua escola. Nos HTPCs pesam dispensa de aulas ou exija que seu dirigente de ensino o faça. E mesmo que encere os prazos pra a entrega das propostas construa a da sua escola e não deixe de lutar por uma escola pública e de qualidade.
    Não esqueça de protocolar sua proposta na sua diretoria de ensino.
    È uma forma de não pactuarmos ao saco de maldades que o novo secretário está planejando. Sabemos que a intenção desses salafrários é rasgar o Estatuto do Magistério, impor seu projeto meritocrático na nossa evolução funcional e provar que os professores estão contentes com a educação que temos em São Paulo.
    Diga Não!

    ResponderExcluir
  69. Veja o que alguns colegas propões ao novo secretário:
    Por uma escola pública de de qualidade:

    Financiamento - Aumento imediato do percentual do PIB destinado à educação para 10% rumo aos 15%, que busque compatibilizar e equalizar o custo aluno/ano na educação básica e superior. Somos contrários à política de fundos, pois os mesmos não representam aumento nos investimentos em educação; via de regra acabam fortalecendo a redução das receitas educacionais e o arrocho salarial. Verbas públicas apenas para educação pública estatal. Gastos em educação entendidos apenas como os recursos destinados para as atividades fins e respeitar a autonomia escolar na aplicação dos recursos e desenvolvendo mecanismos de controle organizados pela própria comunidade escolar.
    Estrutura – A escola deverá proporcionar aos educando um ensino público e de qualidade que os ajude a buscar o bem estar da comunidade e ao mesmo tempo, que seja capaz de auxiliá-lo na elaboração de seu projeto de vida. Defendemos a escola de tempo integral, (não nos molde atuais) em um ambiente que combine o ensino propedêutico e o ensino prático. Para tanto, a escola deverá ter uma estrutura adequada para desenvolver as múltiplas habilidades dos seus educandos. Para tanto é necessário espaços adequados para desenvolver as múltiplas habilidades da cultura humana (turismo, teatro, cinema, línguas, artes, música, esporte entre outras demandas da comunidade na qual está inserida).
    Leia mais em:
    http://educacadoresemluta.blogspot.com/2011/02/construa-na-sua-escola-uma-proposta.html

    ResponderExcluir
  70. Bom dia amigo Claudemir, professores e professoras!

    Conversei hoje com a secretária da minha sede, e ela me disse que o nosso primeiro salário só virá pelo mês de Maio!!! (rsrs, estou rindo, porque chega a ser patético e trágico ao mesmo tempo).

    Isso é verdade??

    Passei o fim de semana pesquisando e lendo sobre salários e condições de trabalhos, na internet. Sobre os que os professores pensam a respeito de suas profissões.

    Esta matéria http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u365083.shtml

    foi considerada caluniosa e afrontosa por TODOS os professores da rede, e mais: muitos outros profissionais postaram, entre os 112 comentários, solidarizando-se com os professores.

    Interessante notar, que uma outra pesquisa feita por professores da USP apontam para os mesmos resultados.

    O que foi debatido, entretanto, diz respeito às condições de trabalho que há na Rede Pública.

    O Alckimin - sucessor do política educacional do Serra - acabou de assumir o poder, não é isso??

    Pois, o que se vamos esperar deste governador??

    ResponderExcluir
  71. http://www.redebrasilatual.com.br/radio/programas/jornal-brasil-atual/professores_licenca_estado.mp3/?searchterm=None

    ResponderExcluir